.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O ETERNO PESADELO... RESS...

. O SONO

.arquivos

. Junho 2012

. Janeiro 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sexta-feira, 6 de Abril de 2007

O ETERNO PESADELO... RESSONAR

 

Este hábito é tão antigo como a Humanidade e já várias foram as teorias debatidas acerca deste acto tão curioso, entre as quais a de que seria uma arma de defesa primitiva.

O acto de ressonar é, em primeira instância, resultado de uma dificuldade respiratória, sendo detectado em cerca de 3% dos bebés.

Mas que soluções existem, afinal, para este problema que tem atormentado gerações?

Uma das soluções mais eficazes é uma simples intervenção cirúrgica. A outra é a instalação de um aparelho (CPAP) que mantém uma pressão contínua no ar e evita os episódios apneicos. A Internet, com a diversidade a que nos habituou, oferece inúmeras aparentes soluções, que vão desde as gotas, pulseiras e electroshock.

No entanto, os médicos recomendam a vigilância do peso e a privação do consumo de álcool, tabaco e sedativos, a prática de exercício físico regular e manutenção de temperatura da casa abaixo dos 20ºC.

Apesar de todas estas recomendações, o incómodo acto de ressonar continuará, certamente, a tirar o sono a muitos parceiros de quarto, ou mesmo de casa, no caso dos mais barulhentos…

 

tags: ,
publicado por Dreamfinder às 21:18

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 5 de Março de 2007

O SONO

 

 

Um estudo científico declara que “mais de metade dos portugueses dorme mal”:

 

47% - Dorme mal

56% - Sofre de sonolência diurna

59% - Refere que dorme menos horas do que necessita

16% - Confessa que já acorda cansado

 

Mas, afinal, o que tira o sono aos portugueses?

Mais de metade, cerca de 57% diz que não dorme por causa do Stress e da ansiedade resultante de problemas familiares ou no trabalho.

A falta de sono é responsável por um número significativo de acidentes rodoviários, pelo cansaço diurno, por alterações de humor, por problemas de concentração, ansiedade, irritabilidade, depressão, sonolência durante o dia, consequentemente, diminuição de rendimento profissional, o que leva a um maior uso de estimulantes e álcool.

Os estudos comprovam que quem dorme melhor, pensa melhor e, logo, age melhor.

  

Também a má qualidade do sono está associada à obesidade, à hipertensão, ao cancro e à depressão. O Stress e a ansiedade são co-responsáveis pela má qualidade do sono, accionam, a curto prazo, um alerta fisiológico responsável por muitas insónias, bem como, a médio e a longo prazo, podem condicionar estados depressivos, sendo a insónia um sintoma em cerca de 90% dessas situações.

A necessidade de horas de sono varia de indivíduo para indivíduo, há quem precise de seis horas e quem necessite de dez horas, mas a grande maioria necessita entre sete a nove horas. Mas a dose certa é aquela que nos permite sentir bem no dia-a-dia e sem dificuldade em nos mantermos despertos em situações monótonas.

Existe quem seja matutino e outros vespertinos que é uma característica individual geneticamente determinada. Embora existam determinadas fases da vida em que o nosso ritmo se torna mais vespertino (adolescência) e outras em que este se torna mais matutino, o que acontece ao envelhecermos.

As necessidades do sono são genéticas e os indivíduos que dormem quatro ou cinco horas e se sentem bem, é que na verdade estão a dormir as horas de que necessitam. Por isso mesmo, não é possível habituarmo-nos a dormir menos horas, as necessidades do sono não são negociáveis.

Embora o sono não traga a solução para os problemas, a ciência demonstra que é mais fácil resolvê-los quando se está com o sono repousado.

Temos que pôr o país a dormir.

Para isso, devemos melhorar a qualidade do sono, fazer refeições mais leves à noite, evitar o álcool e cafeína, as actividades relaxantes antes de dormir também são óptimas, cabendo a cada um encontrar o seu melhor equilíbrio; porque não ouvir música ou ler…

                 “O sono é como uma outra casa que poderíamos ter, e onde,

                                                          deixando a nossa, iríamos dormir.”

Marcel Proust

 

tags: ,
publicado por Dreamfinder às 16:51

link do post | comentar | favorito

.links